27 janeiro 2006

Toys: Spawn em dose dupla



A McFarlane Toys estará lançando em março duas novas figuras pelo Spawn Collector´s Club.

Uma é baseada na capa da edição 30 da revista do personagem e a outra é uma versão com “iluminação” da capa da edição 7. Versão, pois já existia uma figura assim, sem a pintura simulando a iluminação.

Todd McFarlane quer fazer de Spawn 2 um filme de bicho-papão

Cansado de rodar atrás de estúdios interessados em levar Spawn 2 para as telonas, Todd McFarlane, o criador do personagem, já decidiu há meses que fará tudo ao seu jeito. Bancará o filme do bolso, produzirá, dirigirá - e promete uma obra muito diferente do primeiro filme, sem conceções comerciais, espalhafato ou efeitos. Agora ele comenta mais sobre o projeto.

"Estou atualmente escrevendo o roteiro, e uma vez que termine e reescreva umas três ou quatro vezes, daí posso chegar a um ponto que me interessa. Se alguém me desse 65 milhões de dólares, eu entraria com uma mentalidade diferente. Mas eu não vou poder pagar, então preciso baixar a bola, fazer um filme sem muito CGI, o que significa que será mais um filme de personagem. Explico isso às pessoas há anos. É como em Tubarão: apesar do filme se chamar Tubarão e tratar do peixe, ele não é o protagonista do filme. Os personagens principais são as pessoas que estão caçando o tubarão. Essa vai ser a linha mestra, porque não tenho dinheiro para torrar com efeitos tipo Homem-Aranha ou X-Men", disse ao site IESB.

McFarlane prossegue: "Vai ter censura de dezessete anos, bem soturno, bem urbano; a única coisa que vai sair um pouco da normalidade será este ser chamado Spawn. Não haverá super-vilão, nem bazucas, armas de raio - apenas um elemento estranho que as pessoas sequer acreditam que realmente exista. É mais ou menos uma história de bicho-papão, o que é totalmente diferente do primeiro filme". Neste cenário, é difícil que o ator Michael Jai White retorne ao papel principal. "Você nunca vai chegar a ver o Spawn no filme. Mesmo se eu colocasse Michael você não o veria, e eu não preciso de um ator para fazer a voz do Spawn porque ele também nunca vai abrir a boca", completa.

Originalmente, Spawn conta a história de um soldado do exército estadunidense brutalmente assassinado de maneira traiçoeira. Renascido como uma criatura infernal, ele passa a lutar uma batalha constante contra as forças do bem e do mal, além, é claro, de buscar vingança pela sua morte. A idéia de McFarlane é rodar o filme no terceiro trimestre em menos de dois meses e lançá-lo, se possível, antes de 2007.

25 janeiro 2006

Spawn de volta?

Segundo o site http://www.melhoresdomundo.net
spawn continuara da edição 151, pela editora ediouro/pixelmedia.
segue abaixo o post original:

Aah! Segundo o Omelete, a Pixel Media (parceria entre a Futuro Comunicação e a Ediouro) vai investir pesado no mercado de quadrinhos: a estimativa é chegar aos 100 títulos em três anos! Wow, dude! Dê só uma conferida no que vem por aí: Corto Maltese, Gullivera (Milo Manara), O Ladrão da Eternidade (Clive Barker), Criaturas da Noite (Neil Gaiman), O Curupira (Flávio Colin) e lá vai fumaça! Ah sim, a editora pretende apostar no Spawn (eca!), continuando o trabalho da Abril na edição 151."André Forastieri, fundador da Futuro Comunicação, quer focar os quadrinhos nacionais principalmente nas livrarias, com álbuns diferenciados, preços baratinhos e voltados para o público mais velho.
Excelente notícia! A nova editora pretende atacar com quadrinhos de qualidade de verdade! Espero que a iniciativa dê super-certo e o interesse por hqs de super-heróis cresça bastante. Tem muita coisa boa fora do eixo Marvel/DC que garantiria uns cascalhos fáceis por aqui.

Boa sorte, galera! Muito sucesso!

Vejam aqui o site da editora."


Agora é esperar para ver né
Tomara que a gente não ouça falar de "formatinho" e "setorizado"
hehe boa sorte pra gente e não pra eles
=)

Edit.
Saiu no Omelete tambem:

Acabamos de chegar do cocktail de lançamento da Pixel Media, novo selo de quadrinhos do Brasil, parceria entre a Futuro Comunicação e a Ediouro.

Além de encontrar os amigos e beber e comer um pouco às custas dos anfitriões, recebemos o belíssimo primeiro trabalho da editora, Corto Maltese - A balada do mar salgado.

No seu discurso de agradecimento, o fundador da Futuro, André Forastieri, garantiu bons ventos para os quadrinhos nacionais nos próximos anos. A parceria vai focar suas forças principalmente nas livrarias, com álbuns diferenciados, preços acessíveis e voltados para um público mais adulto.

Os planos não são nada modestos. Eles esperam chegar aos cem títulos em três anos, ocupando grandes espaços nas prateleiras das principais redes de livrarias do Brasil.

A outra boa notícia é que a Pixel vai investir também em quadrinhos de heróis. Sua aposta inicial fica para a série Spawn, que há pouco foi descontinuada pela Abril. Os gibis do Soldado do Inferno continuarão a mesma numeração, dando seqüência a partir da 151ª edição e, como frisou Forastieri, "com um papel melhor".

Se você quiser saber mais sobre a nova editora, ela já tem um site no ar: www.pixelquadrinhos.com.br.


21 janeiro 2006

Dissecando Spawn

Achei na net esta historinha feita por algum fã., é bem divertida e apresenta alguns pontos interessantes sobre as historias do spawn, segue o link abaixo:
http://www.geocities.com/sitespawn/p1.htm

Fim de Spawn no Brasil e as Capas Cortadas

"Depois de sobreviver vários meses, Spawn será cancelada aqui no Brasil. Segundo a editora Abril, a última edição sairá este mês e será a de número 150 - que vendeu muito nos states. A editora anunciou que está saindo definitivamente do universo de Super-Heróis, ficando apenas com sua tradicional linha Disney. Por enquanto, nenhuma notécia foi divulgada sobre um suposto interesse de outras editoras em publicar o personagem, que está entrando numa nova e elogiada fase em terras gringas. Aos fãs do anti-herói, só resta aguardar. Qualquer noticia, trago a vocês."


Bom, as capas não foram cortadas, mais foi ridiculo publicar daquele tamanho minúsculo as artes de Jim Lee e Philip Tan.
Se pode notar o desprezo que a editora tem por seus leitores. Depois de 10 anos simplesmente acabam com a revista, vamos esperar então se alguma outra editora assume o título.