19 janeiro 2008

Spawn Godslayer Resenha - Por Nilton Rodrigues


Por incrível que pareça, Drácula é originalmente uma história de amor, obviamente deliciosamente recheado com aquele teor fantástico de horror que todos conhecemos. Mas com o passar das décadas, inúmeras liberdades criativas foram podando o sentimento até restar somente o monstro. Não meu caro zoneiro, você está lendo certo, esta é uma resenha de Spawn Godslayer e não uma aula da história evolutiva do chupador de sangue mor. Mas é interessante traçar um paralelo com o maior fenômeno editorial das HQs dos últimos 20 anos (ou alguém lembra de algum outro herói que tenha sido criado de 1992 para cá com tamanha expressão e longevidade, sem cancelamentos e demais putarias que acontecem no mercado nerdístico dos quadrinhos?). Spawn é o maior alvo dos pseudo-leitores intelectualóides, e chega a entristecer a miopia crítica destas pessoas que julgam e punem o personagem com base em edições passadas verdadeiramente enfadonhas e com roteiros mais perdidos que cebola em salada de fruta. Digam o que quiserem, que Spawn é um Rip Off de Drácula, misturado com Batman e com uma pitada satânica e menos cult de Motoqueiro Fantasma, mas é inegável que esta nova fase do Spawn atualmente nas bancas, está pavimentando aos poucos uma nova ótica sobre sua essência: mais adulta, obscura e underground (o que eu particularmente adoro), mas por outro lado, a nova fase dá um balde de água fria nos fãs mais die hard e xiitas, que cresceram e acompanharam os desenhos explosivos e roteiros inexpressivos da era de ouro McFarlane/Capullo. Escolha o seu lado. Mas Spawn Godslayer é uma edição especial lançada magistralmente pela Media Pixel que irá botar mais lenha na fogueira do ame ou odeie, e antagonicamente inflama ainda mais um sentimento neste redator que vos escreve : PENA. Sim, tenho pena de quem ainda nutre preconceito por Spawn e perde esta verdadeira pequena obra de arte que desembarcou nas melhores bancas do país. Quando no inicio do texto citei Drácula foi para dizer que a essência da criação máxima de McFarlane é ironicamente mantida neste especial: O amor, a força motriz que move quase todos os Hellspawns é elevado neste especial onde a história narra a saga de Godslayer (inteligentemente mantido o nome original), um exterminador de deuses que desembarca na mítica cidade de Endra-la, num universo que mistura Senhor dos Anéis, Conan e outras influências culturais, para matar a deusa local, que por sinal...(leiam). Uma narrativa ágil e envolvente, ilustrada pela trinca Anacleto/Medina/Harbelin, que embora em alguns momentos os quadros pintados pareçam confusos e às vezes até poluídos, mas servem perfeitamente para o clima quase que renascentista que a obra possui. Detalhes raramente vistos em publicações atuais, como um cuidado todo especial pelos figurinos, ornamentos e um estudo hiper apurado da arquitetura deste mundo desconhecido marcam a qualidade deste material que deve figurar num local de destaque na prateleira dos admiradores de uma bela HQ (fãs de Spawn então nem se fala). Uma história de amor, um conto de horror, uma viagem extraordinária num mundo que ainda vai dar muito pano pra manga. A versão nacional ainda vem com esboços originais que só enobrecem o trabalho que a Media Pixel vem fazendo com o soldado do inferno.
Spawn Godslayer fez tanto sucesso lá fora que virou série regular. Precisa rezar para que isto aconteça por aqui?

Por Nilton Rodrigues