05 junho 2008

Spawn #175 - Resenha

Título: Spawn Pistoleiro – Parte Dois
Roteiro: David Hine
Desenhos: Bing Cansino e Geirrod Van Dyke
Data nos EUA: Fevereiro/2008
Data no Brasil: Maio/2008

Sinopse: Jeremy Winston, vulgo Velhote e agora conhecido como Spawn Pistoleiro, lança sua vingança sobre o corrupto Ed Kemper e todos os habitantes da cidade de Bane, tudo sob os olhos de Henry Simmons, antepassado de Al Simmons.

Positivo/Negativo: A segunda e última parte da história do Spawn Pistoleiro cumpre bem o que prometeu: contar a história de mais uma alma atormentada faz um pacto para retornar ao mundo dos vivos para conseguir sua vingança. Apesar da trama simples, a história lembra os primorosos dias das primeiras edições de Spawn: muita morte e carnificina, do jeito que os leitores gostam.
O Spawn Pistoleiro se mostra bem cruel quanto à matar homens, mulheres e crianças (apesar de não serem mostradas, mas são subtendidas) usando de formas bem aterradoras. A vingança contra Ed Kemper mostra muito bem isto, mas não contarei aqui para não estragar a surpresa para aqueles que ainda não leram.
Como comentei na resenha de Spawn 174, a trama traz volta todo o clima de Curse of the Spawn, que mostrava histórias de outras pessoas que carregaram o fardo e o necroplasma ao fazer o pacto com Malebólgia. O próprio David Hine afirmou que leu toda as revistas da série normal e as revistas paralelas, portanto não seria surpresa se ele utilizasse Curse of the Spawn como base para as aventuras atuais, onde além do Spawn Pistoleiro tivemos o Spawn Mandarim e daqui a alguns números o War Spawn.
A arte da revista está belíssima, sendo um dos fatores altos desta saga. Muitos fãs têm criticado os três últimos artistas que a revista já teve: Angel Medina (Spawn #101 a #150), Philip Tan (Spawn #150 a #164) e Brian Haberlin (Spawn #166 a #173). Já a edição #165, desenhada por Lan Medina (da série Fábulas) teve boas críticas, mas seu trabalho ficou resumido a apenas uma edição. Mas nada se compara em unanimidade com a arte da dupla Bing Cassino e Gerroid Van Dyke (com uma forcinha de Greg Capullo), que trouxeram uma arte pintada e deu um novo clima para a revista. A arte, quem em certos momentos beira ao realismo, foi de encher os olhos usando tons em sépia para dar um clima de velho oeste para a história. E como foi mostrado no final da edição, o próximo número trará uma nova saga com a mesma equipe. Podemos ter certeza que teremos mais uma revista com arte espetacular.
Quanto à edição da Pixel, tivemos a volta da Sucursal do Inferno, mostrando a notícia sobre a mudança da equipe criativa a partir da edição 185 e sobre o andamento do terceiro encontro entre Spawn e Batman. Quem acompanha o Spawn Alley já leu a notícia aqui antes :)
No Post Mortem tivemos uma mensagem do leitor Mardokeu mandando um abraço para a galera da comunidade Spawn Brasil (valeu, cara!) e também do nosso amigo Edson “Redentor”, colaborador do Spawn Alley e da Spawn Brasil. Um abraço para vocês e para os outros que tiveram suas cartas publicadas! Também tivemos uma imagem ampliada do Spawn Pistoleiro funcionando como pin-up e um resumo do que a Pixel Media já lançou de Spawn no Brasil.
Fazendo um resumo, as edições 174 e 175 são daquelas que se passarão anos e todos se lembrarão como sendo mais um clássico da saga do Soldado do Inferno.