10 junho 2007

A NOVA APARÊNCIA DE HABERLIN EM SPAWN

Por Vaneta Jones
Tradução: Leo Violador

Site: Newsarama

Quando Spawn passou por uma grande renovação começando pela edição 166, uma das coisas que sobressaiu foi a nova aparência da revista. Enquanto o roteirista David Hine construía um mundo onde as histórias de horror eram abundantes, a arte de Brian Haberlin deu a Spawn um sentimento mais realístico e negro que ecoa a nova direção do título.

Isto porque ele também atua como editor-chefe da linha de quadrinhos de Spawn. Nós recentemente conversamos com Haberlin sobre a renovação e o que significa para a linha - incluindo uma série de especiais e mini-séries, mais quadrinhos online no futuro, e o esforço consciente em trazer os velhos leitores de Spawn de volta ao personagem.

Mas enquanto as mudanças no título principal de Spawn continuam a chamar a atenção dos leitores e da crítica, o Newsarama esteve com Harbelin para falar desta vez sobre a arte - e se ele ficou ou não assustado quando desenhou todas aquelas negras cenas de horror.

NEWSARAMA: Nós conversamos com o roteirista da série, David Hine, sobre as mudanças na direção do título há alguns meses atrás e estivemos com você um pouco mais tarde. Mas como uma rápida análise para os leitores, por que Spawn precisava de uma nova direção?

BRIAN HABERLIN: Na verdade esta era provavelmente a direção que Todd (McFarlane) queria seguir a partir da edição 150, mas nós sentimos que precisávamos encerrar algumas histórias de Spawn para os leitores e não podíamos mudar de marcha sem avisar. E, além disso, eu precisava estar trabalhando em uma revista (eu estava fazendo o McFarlane’s Dragons quando me arrastaram para Spawn), então eu sabia que podia fazer um título mensal.
A idéia de Todd era simples: ele queria fazer um Spawn voltado mais para os adultos, e parecia estar funcionado para os antigos e novos fãs. Eles talvez tenham colecionado Spawn no passado e agora cresceram e estão prontos para uma tomada mais sofisticada - pelo menos parecia ser a reação que queríamos (dedos cruzados) até aqui.

NRAMA: Você pode descrever brevemente o mundo que agora existe em Spawn?
BH: Bem, todo mundo morreu. Então Spawn recriou tudo (ele tinha o poder de um deus, mas abriu mão para trazer tudo de volta) e tudo não está bem neste novo mundo. Como isto foi breve?

NRAMA: Sim, é bem breve. Mas já que tudo "não está bem" no mundo de Spawn, qual é a impressão da revista do ponto de vista de um artista? Você está indo para lado mais escuro ou está se baseando em num realismo mais deformado e exagerado?

BH: Eu gostaria de chamá-lo de Neo-Noir (vindo de antigos filmes noir). Bastante preto... meio que o encontro entre Travis Charest e Tim Bladstreet. Bastantes texturas tão reais como eu posso fazê-las. De maneira ideal, eu quero que as pessoas tenham medo de ler Spawn sozinhas num quarto escuro.

NRAMA: Existem algumas perspectivas realmente diferentes nesta revista, incluindo alguns closes, rostos vistos debaixo e visões distorcidas. Isto é parte do efeito que você está tentando alcançar?
BH: Sim, eu acho que combina com a aproximação cinematográfica. É divertido - eu tenho que ter cuidado, entretanto, com o grau focal que estou usando em minha cabeça porque se você fizer algo que está apropriadamente distorcido (como se através de alguns milímetros de uma câmera) e você reverter muito realisticamente em um estilo de história em quadrinhos, acaba ficando muito mal.

Você mais têm que estabelecer a dinâmica com o primeiro plano, meio plano e plano de fundo mais do que com extrema perspectiva, mas isto significa que você pode usar distância focal estranha para efeito quando algo está estranho - tipo quando Spielberg usava para conseguir um foco torturante para efeito.













NRAMA: Vamos falar sobre o personagem Spawn. Como você tem se aproximado dele nesta nova tomada da série? Como sua aparência mudou desde, por exemplo, do início e meados do anos 90?

BH: Se você olhar Spawn no início, ele parecia como um cara numa fantasia. Mas enquanto a série evoluía, o uniforme e Al/Spawn se tornaram um. Neste estágio, se você tirar o uniforme e o ectoplasma, Al nada mais é do que ossos (e talvez seja seu subconsciente se manifestando). Então para refletir isto, ele tem uma aparência mais cadavérica, mas eu planejo que seu uniforme esteja mudando para se adequar à sua natureza ou situação - mais espinhos, mais armadura, ou menos dependendo da sua situação. Todd sempre disse para tratar Spawn com uma forma que está sempre nas sombras ou em parte delas. Isto é outra coisa que estou tentando manter em mente.
NRAMA: O Palhaço parece um pouco diferente também, agora que a nova versão dele apareceu no número 167. O que você pode nos falar sobre seu novo visual?

BH: Eu sempre senti que você podia fugir do velho e gordo Palhaço, então ele nunca realmente me assustou. Por fazê-lo mais magro como arame ele parecia mais com uma ameaça. Ele realmente está mais rápido agora! E também adapta a história enquanto o Palhaço está possuindo um corpo que estava entregue à morte.

NRAMA: Enquanto este novo mundo de Spawn toma forma, nós veremos alguns personagens familiares da série? Ou alguém novo que é digno de nota?

BH: Bem, nós teremos um monte de personagens favoritos de volta: O Violador, Nyx, Ab e Zab, Mammon e em breve um novo vilão que surpreenderá todo mundo.

NRAMA: Um novo vilão?

BH: David vai me matar se eu falar sobre ele!

NRAMA: Bem, junto com a chegada de novos (e a renovação de antigos) personagens, há algumas coisas realmente assustadoras acontecendo com outras pessoas dentro do mundo de Spawn ultimamente. A mulher que arrancou a pele de seus dedos até que ficasse nos ossos era bem asquerosa. Que outros tipos de coisas bárbaras você conseguiu desenhar para a revista até aqui?

BH: Bem, uma mulher comendo a si mesma próxima da morte é bem grande aqui. Um homem fazendo sua própria mudança de sexo improvisada. Cabeças decapitadas, personagens queimando de dentro para fora, insetos, insetos e um monte de insetos...

NRAMA: Eca! Você não ficou assustado com este material quando estava desenhando?

BH: Deixe-me por desta maneira: eu não deixo meus filhos verem qualquer página que eu estou trabalhando. E não é tanto que eu fique assustado. Eu preciso equilibrar com uma luz e um livro leve do lado, eu acho.
NRAMA: Algo um pouco mais otimista?
BH: Talvez algo com calças normais e um manto.
NRAMA: Se nós virmos um anúncio seu em uma revista de super-heróis em breve, saberemos o motivo. Vamos falar sobre onde a história está no fim da edição 167. Spawn decidiu fazer algo sobre os problemas com este mundo reformado, e o Palhaço em particular. Nós veremos Spawn mais em ação agora, ou a concentração ainda está relacionada com histórias de terror?

BH: Sempre será um jogo de equilíbrio entre o horror e a ação. Eu acho que teremos uma mistura de ambos, mas às vezes terão mais ação ou menos. Na verdade, é a história que determina isto.
NRAMA: Você pode nos dar uma dica do que está por vir? Talvez nos diga o que está desenhando agora e que coisas legais estaremos vendo?

BH: Que tal o Violador? Aqui estão prévias de Spawn 168.

NRAMA: Isto poderia prender a atenção de algumas pessoas. Nós vimos algumas críticas ultimamente recomendando a nova direção do título para os leitores. Isto era o que você sentia também? Como foi a reação das pessoas viram estes números?

BH: Eu tenho brincando com David que eu fiquei feliz de pagar metade do suborno que ele tem dado para as pessoas. A reação foi inacreditavelmente positiva. Eu estou estupefato. Agora eu tenho que continuar!

NRAMA: E com isto parece ser esta atitude em direção ao Spawn porque muitos leitores atuais costumavam acompanhar a série. Mas a maioria deles longe do título por mais de uma década. Por que você acha que os fãs deveria dar uma chance ao Spawn agora?

BH: Bem, por algumas razões. Primeiro, eu não acho que há muitas revistas de horror à venda por aí que mostre a maneira como Spawn atualmente. E eu também acho que há muitos fãs de Spawn lá fora que gostariam que a revista uma vez crescesse no habitat das histórias em quadrinhos em geral (isto parece acontecer - pessoas indo e vindo em certos momentos em nossas vidas). Eu acho que se eles se encontrassem com Spawn novamente encontraria uma revista que cresceu junto com eles.